Inversão do Sexo – Causas e Conseqüências

COMPORTAMENTO

Inversão do Sexo – Causas e Consequências

O sexo, respeitados os seus reais objetivos, é válvula propulsora do crescimento espiritual

O sexo, como tudo que existe na vida, é dádiva divina em favor da própria vida. Respeitados o seus reais objetivos, é válvula propulsora do crescimento espiritual. Porém, quando mal utilizado, poderá transformar-se em instrumento gerador de incontáveis males.
Na condição evolutiva que caracteriza o nosso planeta, o sexo mantém forte vinculação com o prazer, tornando-se importante atrativo entre os seres. Essa atração é, em verdade, uma estratégia da natureza, para que se cumpra a perpetuação da espécie.
No entanto, o espírito imaturo que ainda não compreende o verdadeiro objetivo do sexo, transforma-o em uma fonte exclusiva de prazer. Comporta-se como um sedento que tenta aplacar a sede com a água do mar – enche o estômago, mas não se sente saciado. Aderindo a essa inversão de valor (aceitação do prazer em detrimento da oportunidade de evoluir), ele se desequilibra, sofre e causa sofrimento, requerendo providências educativas indispensáveis ao seu re-equilíbrio.
Entre as providências mais comuns, relatadas através da literatura espírita, está aquela em que o espírito retorna ao palco da vida corpórea, experimentando a inversão sexual. Essa condição especial, para a grande maioria, é geradora de imensos conflitos, pois se sente portadora de um arcabouço físico inadequado ao arcabouço psicológico.
Sem sombra de dúvida, a invigilância, associada às influências impetuosas do erotismo, torna essa experiência uma condição fronteiriça ao homossexualismo, principalmente, quando o espírito submetido a essa experiência sofre as influências negativas do meio ou de obsessões. No entanto, não se pode generalizar com afirmativas, como as que abaixo destacamos, e que apenas refletem a ignorância sobre o assunto:
a)    A inversão sexual é a causa do homossexualismo.
Inadmissível a quem realmente estuda a Doutrina Espírita fazer essa afirmativa. O espírito, em si, não tem sexo; apenas de acordo com a experiência a que se propõe ou que lhe é imposta (pode ser provacional ou expiratória), a bem de sua evolução espiritual, poderá reencarnar em um corpo masculino ou feminino. Quando o espírito vem de repetidas experiências no mesmo sexo, seu arcabouço psicológico mantém as impressões peculiares desse sexo, diferindo, assim, da estrutura física, após a mudança (inversão do sexo); essa condição é conhecida como transexualismo.
Conheçamos a opinião de Dr. Bezerra de Menezes a respeito:
“[...] temos o transexualismo, que empurrado pelos impulsos incontrolados do eu espiritual perturbado em si mesmo ou pelos fatores externos, pode marchar para o homossexualismo, caindo em desvios patológicos, expressivos e dolorosos…” (*)
Percebe-se, com esse oportuno esclarecimento da espiritualidade, que a inversão sexual por si só não representa um fator determinante ao homessexualismo; no entanto, a falta de controle dos impulsos do passado e a busca do prazer intensificam os desejos que o espírito não se esforça para controlar. São as tradicionais tentações, às quais Tiago fez referência: “Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência.” (**)
As influências exteriores apenas despertam os vícios e desejos que o espírito tem dentro de si; não tem uma ação determinística, pois a decisão é do espírito.
b)    A inversão sexual é uma expiação; todos os que passam por essa experiência comprometeram-se com a sexualidade no passado.
Nesse caso, também não podemos generalizar. É verdade que, para o espírito que transformou o sexo em instrumento de prazer, gerando sofrimento e dor nos outros, possa ser necessária uma encarnação compulsória, através da inversão sexual; mas são frequentes, também, casos de espíritos que a solicitam, com o objetivo de adquirir experiências específicas do outro sexo. Normalmente são espíritos que já atingiram um nível evolutivo acima da media, não sofrem os anseios da lubricidade e, consequentemente, essa encarnação não lhes oferece o risco de se tornarem nomessexuais.
Mais uma vez, apresentamos o esclarecimento do Dr. Bezerra de Menezes:
“Quando são conseguidos resultados positivos numa expressão do sexo, pode-se avançar, repetindo-se a forma até que, para diferente faixa de aprendizagem, o Espírito tenta o outro gênero. No momento da mudança, em razão dos fortes atavismos e das continuadas realizações, pode-se ocorrer que a estrutura psicológica difira da organização fisiológica, sem qualquer risco para o aprendiz, porquanto à segurança de comportamento e nenhum desvio da libido por ausência de matrizes psíquicas decorrentes da degeneração imposta aos hábitos anteriores.” (*)
Ante o exposto, podemos concluir sobre a ignorância de algumas pessoas a respeito do assunto, quando confundem transexualismo com homossexualismo, ou afirmam que a inversão sexual é sempre uma expiação de espíritos com comprometimentos na área do sexo.

Revista Internacional de Espiritismo /janeiro de 2011.
F. Altamir da Cunha
Altamir.cunha@bol.com.br

(*) – Loucura e Obsessão, p.70 e 73, FEB – Divaldo Pereira Franco, pelo Espírito Manoel P. de Miranda.
(**) – Tiago 1:14.

****************************

Postado em Comportamento | Comente

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>